Estágio Profissionalizante em Psicologia do Esporte em tempos de Pandemia


As atividades de estágio de Psicologia do Esporte (PE) ofertadas pelo curso de graduação em Psicologia da Universidade do Estado de Minas Gerais, unidade Ituiutaba acontece desde 2016, como atividade obrigatória. Esse estágio consiste em quatro horas semanais de supervisão comigo, que sou a Professora Supervisora do Estagio em Psicologia do Esporte, e de oito horas semanais de atividades práticas de campo, sendo essas de observação, intervenção, dentre outros. As atividades seguem um roteiro, respeitando o objetivo do estágio, de acordo com o Projeto Político Pedagógico do Curso de Psicologia.


São desenvolvidos trabalhos de observação e posteriormente intervenções que contemplaram as seguintes temáticas: Exercício físico e saúde, Exercício físico e esporte na infância e adolescência, Exercício físico e ou esporte e bem-estar; Treinamento com Professores de educação física, Preparadores Físicos e Técnicos; Trocas de experiências e vivências por meio do exercício físico; Exercício físico e controle da ansiedade, Esporte e alto rendimento, Princípios Éticos para Psicólogos do esporte e do exercício: Competência, Integridade, Responsabilidade pessoal e científica, Respeito pelos direitos e pela dignidade das pessoas, Preocupação com o bem-estar, Responsabilidade Social.


Telma Matos com o grupo de atletas e estagiários em Ituiutaba (2019). Fonte: Aquivo Pessoal.



A organização das atividades práticas segue um roteiro, principiando com contato inicial; apresentação da proposta do estagio às instituições parceiras; primeiras observações sistemáticas e participante dos treinamentos, elaboração de diários de bordo; intervenções com os atletas e equipe desportiva; finalizando os trabalhos com devolutiva para a instituição cedente.


Em meio ao contexto da Pandemia, e devido aos critérios sanitários adotados tanto pela Universidade quanto as instituições cedentes, esse estágios no ano de 2020 não ocorreu. O curso de Psicologia, mesmo diante da portaria que permite a realização dos estágios profissionalizantes de maneira remota, entendeu não ser viável a realização dos estágios com ênfase em processos psicossociais, cuja característica é o contato direto no campo de trabalho.


Nós da Psicologia do Esporte, preocupados com a condição e saúde mental dos atletas assistidos por esse estágio, resolvemos contatá-los, mesmo de maneira informal, para um acolhimento e escuta relacionada a todo contexto vivido. Os técnicos em questão foram receptivos a proposta e os grupos virtuais forma formados com os atletas, técnicos, alunos do curso de Psicologia interessados pela área da PE e pelo estágio. Esse grupo virtual é organizado e conduzido por mim, Profª Telma Matos.


Entendemos o momento atual e percebemos que as dores trazidas pelos atletas perpassavam a angústias por não treinarem, por não poderem usufruir dos encontros. Suscitaram também questões relativas às ausências do grupo, a falta do contato mesmo virtual. Podemos perceber nesses encontros que as demandas relacionadas ao rendimento tornaram secundárias, e que as questões permeadas pelo humano, pelo contato com o outro tomaram uma proporção merecedora de atenção.


Esses grupos acontecem quinzenalmente, e mesmo não sendo um grupo formal do estágio profissionalizante, pois esse foi adiado por enquanto, essa intervenção, indireta, está trazendo para esses atletas e técnicos um momento de vazão as catarses, está proporcionando um encontro (mesmo virtualmente), e estão trazendo para esse grupo uma possibilidade de acesso a questões relacionadas à identidade das equipes.


Não podemos precisar, mas inferir que esses encontros estão permitindo ao grupo uma ampliação do diálogo e também de um conhecimento aprofundado de questões que não eram levantadas durante os treinamentos. Podemos perceber uma maior sensibilidade e atenção a fatores que antes passavam despercebidos pelo grupo. Não sabemos por quanto tempo nosso estágio continuará suspenso, e nem se o grupo virtual terminará quando esse retomar. O que sabemos é que essa ação inicial está possibilitando a atletas e técnicos um momento para o diálogo, para ampliar discussões.



Telma Sara Q. Matos. Doutora em Psicologia (USP-Ribeirão Preto); Mestre em Educação; Bacharel e Formação em Psicologia; Graduada em Licenciatura Plena em Educação Física. Docente do Curso de Psicologia da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), onde supervisiona estágio em Psicologia do Esporte e coordeno um Projeto de Extensão intitulado “Psicologia do Esporte e Saúde Mental: práticas corporais como intervenção terapêutica junto aos pacientes do CAPS.


Links Recomendados
Leitura Recomendada
1/3
Procurar por Tags
Siga as Ciências  do Esporte "PELO MUNDO"