top of page

Simone Sanches, levando a ABRAPESP a novos contextos

Atualizado: 15 de out. de 2022



Simone Sanches

Simone Sanches, doutora, professora universitária e psicóloga do esporte, foi presidente da ABRAPESP no biênio 2012-2013.


Sua gestão, durante grandes eventos esportivos, foi marcada por divulgação, parceria e acontecimentos históricos que perpassam sua vida pessoal.


Colocaremos aqui, mais que uma entrevista, um depoimento do que significa ABRAPESP para esta profissional..


Simone ...

"Não sei o que começou primeiro, se foi a ABRAPESP ou o curso do Instituto Sedes Sapientiae…


"Sim, o Sedes! Eu estava no mestrado e tinha intenção de trabalhar com Psicologia do Esporte (P.E. como é citada no linguajar dos profissionais).


"Minha pesquisa era na área de educação, mas com a temática da Psicologia do Esporte. Sou de Campinas, moro lá até hoje, e não conhecia ninguém da área.


"Foi quando soube do curso de extensão do Sedes - ainda não tinha o curso de especialização - através da minha mãe, que era professora de psicologia na PUC de São Paulo. Ali conheci a Kátia Rubio e a Luciana Angelo que foram minhas professoras e abriram as portas para eu conhecer o pessoal da área.


"José Aníbal Azevedo Marques, Marisa Markunas, Cristiane Carvalho, Fábio Silvestre foram me apresentando a prática da Psicologia do Esporte.


"Fui me envolvendo com as atividades, primeiro no âmbito acadêmico, porque do mestrado fui direto fazer o doutorado na Faculdade de Educação da USP. E tendo a Kátia Rubio como orientadora, entrei para a equipe de pesquisa dela e comecei a fazer as atividades do grupo: pesquisas e trabalhos para congressos, a revista - Revista Brasileira de Psicologia do Esporte - e os livros da Casa do Psicólogo que a Kátia estava envolvida.


"Foi quando surgiu a oportunidade de um doutorado sanduíche, numa parceria com a Universidade de Vigo, financiada pela bolsa do Santander.


"Na Espanha, fui trabalhar com o professor Joaquín Dosil, presidente da Sociedade Iberoamericana de Psicologia do Esporte - SIPD. Permaneci sete meses em Santiago de Compostela, entre 2008 e 2009, trabalhando com ele em um centro de atendimento aos atletas e realizando atividades no contexto acadêmico.


"Fiz atendimentos e ministrei aulas. Quando retornei, defendi o doutorado e comecei uma nova fase da minha carreira, mergulhando no esporte de alto rendimento.


"A experiência na Espanha abriu portas muito importantes para oportunidades de trabalho na área.


"Fui para o Clube de Atletismo BM&F Bovespa, em São Caetano e entrei na Confederação Brasileira de Atletismo, tudo na mesma época e sem tirar o pé da vida acadêmica.


"Na gestão da Alessandra Dutra, fui com ela, Luciana e Katia ao Congresso da SIPD na Colômbia, para apresentar a candidatura do Brasil para sediar o próximo Congresso da Sociedade.


"Quando foi decidido que o congresso seria no Brasil, a ABRAPESP estava na fase de transição da diretoria e fui convidada a compor a chapa com a função de presidente. O congresso foi um incentivo para eu assumir a direção.


"Para mim foi um grande desafio, veio tudo junto com grandes acontecimentos da minha vida profissional. Afinal, era o ano das Olimpíadas de 2012- Londres, para onde eu iria com o Comitê Olímpico, trabalhando com a equipe da Confederação Brasileira de Atletismo.


"Eu me questionava sobre como eu daria conta de tudo isso? Mas estar à frente da ABRAPESP era uma forma de lutar pela nossa área. O grupo estava sempre se mobilizando pelo ideal de nos posicionar, publicar os trabalhos, fazer parcerias.


"Divulgar para mais pessoas o que estava acontecendo dentro da área e para alunos de graduação apresentar a Psicologia do Esporte era uma possibilidade de atuação.


"Durante a minha gestão, uma das coisas que mais me marcou, foi levar o nome da ABRAPESP à vários contextos nos quais eu acreditava ser importante a associação estar.


"Dentro do contexto universitário, eu fiz várias palestras em nome da associação para apresentar a Psicologia do Esporte e suas áreas de atuação em semanas de estudos e semanas de psicologia.


"Eu entendia que era importante o contato, desde estudantes de graduação até o contexto mais institucional como outras associações de Psicologia, os Conselhos Regionais, o Conselho Federal e todas as entidades relacionadas ao sistema conselho.


"Eu acreditava que essa divulgação da ABRAPESP era importante para o crescimento da instituição e da área como um todo, para credibilizar a entidade."


ABRAPESP - Foi na sua gestão o IV Congresso da SIPD (Sociedad Iberoamericana de Psicología Del Deporte)?


"Sim. Um grande desafio! Em dois anos, era preciso organizar congresso da Sociedade e o congresso bianual da ABRAPESP. Sem contar as diversas representações em outros eventos.


"Aprendi muito com o contato com o sistema conselho. Um evento que me marcou bastante foi o Fórum das Entidades Nacionais da Psicologia Brasileira e as discussões que acontecem naquele contexto, como, por exemplo, a participação da Psicologia nas políticas públicas.


'Também com a organização dos eventos, conheci muita gente, o que amplia nossa visão da Psicologia, o como podemos trabalhar em rede e a importância das inter relações das áreas.


"2012 foi um ano insano, porque eu fui para a Olimpíada de Londres e estava muito envolvida com os atletas. Fiquei lá entre julho e agosto e ao retornar, estávamos nos aproximando da data do IV Congresso da Sociedad Iberoamericana de Psicología Del Deporte, que ocorreu em São Paulo, de 25 a 27 de outubro.


"Tudo ao mesmo tempo: minha prática profissional, a divulgação do trabalho da ABRAPESP, a logística da organização de um evento internacional.


"Apesar disso, acredito muito nessa junção da vida prática e acadêmica. É publicando trabalhos que realizamos reflexões e a divulgação de experiências.


"2012 foi um marco histórico para a Psicologia do Esporte. Pela primeira vez tivemos um grupo de psicólogos atuando nas olimpíadas, onde vivemos um encontro profissional.


"Foi possível batalhar pela Psicologia do Esporte dentro de um cenário olímpico.


"E foi muito importante pois logo depois, estávamos trocando as experiências de atuação, unidos a profissionais que desejavam se capacitar, ampliar sua visão sobre a área, conhecer outras realidades.


"A ABRAPESP engloba todas as possibilidades da P.E., tanto que, nos nossos eventos, sempre tivemos a preocupação de não direcionar só para o alto rendimento, mas abrir todas as possibilidades da P.E. como área educacional, reabilitação, projetos sociais, divulgando de maneira mais ampla.


"Os jogos de Londres também foram marcados porque antecediam a Olimpíada no Brasil. O grupo que foi para Londres já estava num trabalho preparatório para algo muito significativo para o esporte brasileiro, as Olimpíadas do Rio.


"Sabíamos que os atletas estariam expostos a uma pressão psicológica maior nos jogos em casa, a Psicologia do Esporte já estava ganhando uma visibilidade, além disso, em seguida viria a Copa do Mundo.


"Vários megaeventos e a Psicologia do Esporte chegando como uma dimensão fundamental na preparação dos atletas e ganhando mais relevância e visibilidade.


"Na organização dos eventos, o trabalho de todos os comitês da ABRAPESP sempre foi fundamental. E no caso do congresso ser em São Paulo, pela logística, a equipe local também foi muito importante. Sempre um trabalho em equipe. Todos abraçaram a causa e as dificuldades, que não foram poucas.


Tassia Ramos, Yan Cintra, Marcelo Mendes, Simone Sanches, Marta Magalhães, Gabriela Gonçalves, Jorge Luis Ribeiro, Luisa Godoy, Aline Luz, Cristiane Carvalho e Luciana Ferreira Angelo ao microfone.

"Hoje a Psicologia do Esporte pode comemorar muitas conquistas e seguimos batalhando por esse reconhecimento e pela ampliação das possibilidades de atuação profissional, de formação acadêmica e capacitação."


ABRAPESP - E a associação?


"É parte da minha trajetória pessoal e profissional. O meu marido Marcelo Mendes me acompanhou nessa jornada, entrou na diretoria comigo, deu suporte direto nos eventos e apoio emocional. O trabalho do psicólogo é muito solitário, então poder trocar com seus pares, compartilhar conhecimento, trabalhar junto, trocar experiências é maravilhoso.


"Por isso a ABRAPESP é tão importante para quem acredita em todas as possibilidades da Psicologia do Esporte. A ABRAPESP é para o profissional que deseja atuar na área, se capacitar, trocar experiências, divulgar o seu trabalho.


"Refletir sobre todos os envolvidos no nosso trabalho como os atletas, familiares, equipe interdisciplinar, etc. Fazendo com que a área cresça e se fortaleça cada vez mais!"


70 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page