top of page

Rodrigo Damasceno fala sobre novo projeto de Psicologia do Esporte na CBW

Atualizado: 18 de jul. de 2022


Rodrigo Damasceno

Nessa matéria, conversamos com Rodrigo Damasceno, psicólogo e associado ABRAPESP, sobre sua atuação na Confederação Brasileira de Wrestling, sua força tarefa para abertura de novos campos de trabalho para a Psicologia do Esporte, proporcionando assistência a atletas e treinadores e pesquisa acadêmica com parceiros internacionais, contando com as interlocuções e apoio da ABRAPESP.


Qual seu papel na CBW?

Eu faço parte do Comitê de Ética da Confederação Brasileira de Wrestling (CBW). Esse é o primeiro Comitê, o que se formou recentemente e foi aprovado em assembleia. Sou presidente da Federação Piauiense de Wrestling (FPIW) e me candidatei a esta vaga do Comitê de Ética da CBW.


Paralelo a isso, já venho buscando desenvolver outras práticas para que a gente possa tentar introduzir o serviço da Psicologia do Esporte na Confederação Brasileira. Como a CBW nunca teve esse tipo de trabalho e sou o único gestor de federação esportiva com formação em psicologia, busco trazer essa sensibilidade junto à diretoria, ao presidente da Federação, Flávio Cabral, que sempre se mostra muito adepto a aceitar essas propostas. Não só ele como toda a gestão atual da CBW, em especial ao diretor de esportes, Josué Moraes, que tem uma vasta experiência com esporte olímpico e, agora, atua junto à CBW nessa atual gestão.


Qual a demanda que você identificou e que culminou nessa iniciativa?

A principal demanda é a falta de suporte emocional para as pessoas que fazem parte da luta - tanto os atletas quanto os técnicos. A CBW ainda não conta com o Departamento de Ciências do Esporte, então é um desafio introduzir isso gradativamente na CBW. Vamos iniciar um trabalho agora em agosto em Brasília em que será o pontapé inicial de apresentação, palestra e, posteriormente, estaremos aplicando uma escala de estresse com os atletas e, gradativamente, introduzindo isso em outros momentos e outras competições até, de fato, culminar na criação do departamento de psicologia.


Como surgiu a possibilidade da construção desse novo trabalho? Em que a ABRAPESP auxiliou nesse processo?

A ABRAPESP é primordial como instituição de referência, ajudando na representação. Destaque também, por ser uma porta, um viés de articulação para iniciar qualquer trabalho que envolva Psicologia do Esporte, uma referência. Sou membro associado da ABRAPESP e faço sempre questão de promover a articulação que serve como canal, meio de divulgação de entidades parceiras.


Qual é o plano, tanto acadêmico quanto assistencial, desse projeto?

O plano inicial é introduzir esse serviço de psicologia. Iniciando com palestras educativas e acompanhamento de alguns atletas aplicando essa escala de estresse. Vamos estruturando o departamento de psicologia, na medida que as coisas forem ocorrendo.


Com quais parcerias estão contando para a realização de tais ações?

Inicialmente as parcerias são entre a ABRAPESP, a própria CBW e a FPIW (Federação Piauiense de Wrestling). Também contamos com a parceria do grupo de pesquisa ARDH (Adaptação, Rendimento e Desenvolvimento Humano), na Universidade do Minho, Portugal, coordenado pelo Prof. Dr. Rui Gomes. Nossa vice-presidente,Thabata Telles, colabora com as pesquisas deste grupo e me ajuda na estruturação desde o trabalho inicial e na construção da psicologia do esporte na CBW.





Rodrigo Almeida Damasceno CRP 21/02561

Graduado em Psicologia realizando atendimento em clínica particular e acompanhamento de atletas de diversas modalidades. Especialista em Tanatologia pela CENSUPEG e pós graduando em Terapia Cognitivo Comportamental pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Atuou como psicólogo em uma equipe de atletismo no Piauí com registro na confederação brasileira de atletismo 2017 a 2019. É responsável e idealizador de um projeto que correlaciona a psicologia do esporte e psicomotricidade com aulas de jiu jitsu com crianças neuroatípicas. Criou um grupo de Trabalho de psicologia do esporte no Conselho Regional de Psicologia do Piauí no ano de 2017. Esteve com coordenador do curso de Psicologia da Faculdade Fatepi Faespi e atualmente é professor, supervisor de estágio e coordenador da clínica escola na referida faculdade; membro da diretoria na função de secretário e presidente da Comissão de Psicologia do Esporte do Conselho Regional de Psicologia do Piauí - 21ª Região - gestão 2019-2022, psicólogo em clínica particular, vice delegado do Piauí da Federação Brasileira de Terapias Cognitivas (FBTC) e desenvolve pesquisas com ênfase nos temas: psicologia do esporte, tanatologia, aprendizagem, psicomotricidade, crianças neuroatípicas, na área de projetos sociais e educação integral de crianças, jovens e adultos.

141 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page