A Psicologia do Esporte no Futebol do Brasil e de Portugal

Atualizado: 5 de abr. de 2021


Dia 20/03, às 13 horas, os Psicólogos do Esporte Pedro Assis, de Portugal, e Marina Gusson, do Brasil, abordam a "Psicologia do esporte no meio de campo: as particularidades da atuação no futebol no Brasil e em Portugal" em um dos web-cursos de verão da Associação Brasileira de Psicologia do Esporte, ABRAPESP


O que é ser profissional nessa área? De um lado a experiência do Pedro, principalmente o seu trabalho com o clube (hoje a equipe masculina do F.C. do Porto); e do outro, o conhecimento da Marina e a Seleção Brasileira de Futebol Feminino.


"A ideia é discutir como é a realidade desses ambientes do universo do futebol, e as características do trabalho do psicólogo do esporte" - Marina Gusson

"O objetivo também é confrontar a realidade portuguesa com a realidade brasileira. O que se faz em Portugal e o que se faz no Brasil. Muitas vezes chegamos a conclusão que é um trabalho muito parecido, e noutras, bem diferente. Lógico que existem as questões culturais, o trabalho com as mulheres talvez tenha que ser diferente do trabalho com os homens, mas o que queremos é mostrar como conseguimos intervir nessas realidades", diz Pedro

"O trabalho do psicólogo não requer atenção somente no atleta, mas também temos focos de intervenção da comissão técnica, dos treinadores, das famílias" complementa Marina

O impacto da pandemia no futebol também deve surgir na conversa: "afinal é algo ainda muito presente, muito incerto. É, por exemplo, o assunto da semana na Federação Paulista, também na Seleção, já que amistosos vêm sendo desmarcados. É uma questão mundial", afirma Marina.



ABRAPESP - Como carreira, o que é atraente?


Pedro - A área da psicologia do esporte já existe há muitos anos, e vem sendo cada vez mais valorizada. Os clubes, as federações percebem os fatores mentais no desenvolvimento dos atletas. Com a Psicologia do Esporte, os treinadores conseguem ajuda na melhoria do desempenho dos atletas. É isso que queremos: compartilhar o que fazemos um dia-a-dia, nosso entusiasmo, nossa paixão"


Marina - Uma coisa é eu e Pedro dizer: somos apaixonados por nosso trabalho! Outra é somos apaixonados por futebol e meu time é… Podemos ter nossos times favoritos, ter opinião de torcedora, mas tem que ter claro que quando você está ali, você é um profissional da saúde e tem que estar comprometida com este aspecto. Se não você perde a clareza.


Não há dúvidas que o tema é apaixonante. Já fez sua inscrição? Não perca a oportunidade. Acesse: https://www.abrapesp.org.br/shop