23 de junho Dia Mundial Desporto e do Atleta Olímpico

Atualizado: 24 de jun.



O Dia Mundial do Desporto Olímpico é celebrado anualmente em 23 de junho. É uma homenagem à criação do Comitê Olímpico Internacional, fundado em 23 de junho de 1894. Iniciativa do francês Pierry de Frédy (conhecido como Barão de Coubertin), o Comitê Olímpico nasceu com o objetivo de resgatar o espírito de competição dos antigos Jogos Olímpicos que eram realizados na Grécia antiga.


Na mesma data é celebrado, anualmente, o Dia do Atleta Olímpico homenageando a todos os atletas que se dedicam, com muito treino, a participar dos esportes olímpicos com empenho, esforço físico e psicológico, além de muita disciplina focada no sucesso desses atletas.


Os primeiros Jogos Olímpicos Modernos foram realizados na cidade de Atenas, na Grécia, entre os dias 6 e 15 de abril de 1896. Atualmente, os Jogos Olímpicos são feitos de 4 em 4 anos e em diferentes países do mundo.


Durante o Dia Olímpico, como é chamado, são organizadas diversas atividades que buscam lembrar a comunidade em geral sobre os princípios de "exercitar, aprender e descobrir".


Para falar mais sobre o tema fomos conversar com duas psicólogas do esporte, associadas da ABRAPESP, e pedimos que respondessem duas perguntas que nos mostrasse a visão e vivência de cada.


ABRAPESP- Há alguma especificidade a ser dada atenção quando se trabalha com atletas olímpicos?

DANIELE MUNIZ

Atletas olímpicos são atletas de altíssimo rendimento. O preparo global e o tipo de treinamento a que este grupo seleto está submetido, visa a superação dos limites físicos e emocionais. Entendo que o nosso trabalho deve seguir com o mesmo padrão de excelência, mas não enquanto performance ou recurso para alcançar resultados apenas. Com essa afirmativa me refiro ao padrão ético que devemos assumir no exercício da Psicologia neste campo. É preciso garantir que o rigor científico das nossas intervenções esteja alinhado com o compromisso social que orienta nossa profissão. Bom, de um ponto de vista mais pragmático, diria que atletas olímpicos precisam de muitos cuidados. Dentre eles, destacaria como pontos sensíveis de atenção o manejo da pressão por resultados, o assédio da imprensa e torcida, relação com redes sociais, tolerância à frustração e à autorregulação emocional.



MARINA GUSSON

De forma geral quando falamos de trabalho com o atleta olímpico, penso eu, de forma bem resumida e objetiva, que o diferencial e a especificidade seja justamente a consciência que estamos trabalhando com o altíssimo rendimento, ou seja, atletas profissionais que já tem uma longa carreira, ou uma carreira muito bem sucedida na sua modalidade pra terem conseguido vaga inclusive para estarem participando dos Jogos Olímpicos. Estar lá tem uma questão simbólica fortíssima, porque é o campeonato que agrega as diversas modalidades e os melhores do mundo. A questão da simbologia precisa de cuidado, porque se pensa: "Meu Deus, estou no maior campeonato do mundo". E isso pode gerar ansiedade, cobranças, assim como deslumbres, porque é um ambiente onde você olha para o lado e todas as pessoas são famosas, você conhece e você está no meio de pessoas de grande destaque e isso mexe com a consciência do atleta "que bacana eu faço parte disso tudo".

Mas dependendo da personalidade, do histórico de vida, pode ser um gatilho para uma série de ansiedades. Ter consciência da especificidade, seja ela simbólica, ou cultural, e o que isso significa em termos Dos objetivos do atleta para conseguir preparar de uma forma realista para essa situação.